A OFF FLIP Autores

Ana Paula Maia

anapaula.jpgNasceu em 1977, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, Rio de Janeiro.
Publicou seu primeiro romance, “O habitante das falhas subterrâneas” (Rio de Janeiro: 7Letras) em 2003 e, em 2006, o primeiro folhetim pulp da internet brasileira, “Entre rinhas de cachorros e porcos abatidos“.

Lançou pela Língua Geral, em abril de 2007, “A guerra dos bastardos“, seu segundo romance. A história gerou um trailer de cinema, com roteiro da escritora e do curitibano Fabiano Vianna, da produtora Crepúsculo. Iniciativa inédita no mercado editorial brasileiro – que vem trabalhando os livros no cinema com teasers publicitários – o trailer tem estréia prevista para julho, em salas do Rio e de São Paulo.

Antonio Más

antoniomas.jpgNasceu em Minas Gerais e vive no Rio de Janeiro.

Formado em publicidade, sua vida profissional sempre foi ligada ao cinema. Escreve há tempos, mas só recentemente começou a publicar no site e na revista Bagatelas!

Suas experiências cinematográficas imprimem em seu texto a dinâmica dos filmes de ação e aventura. “Bárbara não quer perdão” (selo Bagatelas!) é seu primeiro romance policial publicado, mas há outros na gaveta.

Antonio Vicente Seraphim Pietroforte

antoniovicente.jpg Nasceu em São Paulo. É formado em Português e Lingüística pela USP, onde fez o mestrado e o doutorado em Semiótica. Publicou os livros “Semiótica Visual: os percursos do olhar” (2004 e 2007) e “Análise do Texto Visual: a construção da imagem” (2007), ambos pela editora Contexto. De seu primeiro romance, “Amsterdã SM”, que autografa na OFF FLIP, o escritor Glauco Mattoso diz: “Esta novela erótica configura um dos raríssimos casos de sadomasoquismo intelectualizado em língua portuguesa, cuja trama delineia verdadeira tese estética. (…) Por trás da fria e meticulosa tortura ritualizada, desfila, à guisa de bizarro guia turístico, uma multiplicidade de cardápios: mulheres, drogas, religiões, práticas sexuais. (…) Quantos de nós vestiriam a carapuça de couro e se colocariam na pele lanhada de suas personagens? Só mergulhando no hipnótico e sedutor relato de Vicente.”

Carlos Cavalcanti

carloscavalcanti.jpg É poeta e nasceu em Campina Grande, estado da Paraíba. Radicado em Pernambuco, é membro da UBE (União Brasileira de Escritores), da UBT (Unão Brasileira de Trovadores) e o atual presidente da Academia de Artes, Letras e Ciências de Olinda. É também detentor do prêmio literário “De Lyra e César” de poesia, da Academia Pernambucana de Letras (2001). Em seu livro “Sertanidade” mescla a linguagem erudita e popular em torno da temática do agreste nordestino. Na OFF FLIP participa de Mesa ao lado do jornalista e fotógrafo João Correia Filho, que tem um vasto trabalho sobre a obra de Guimarães Rosa e exibirá o média metragem de sua autoria “O torto encanto de Manuelzão”, sobre o marcante personagem do renomado autor mineiro.

Claudio Willer

claudiowiller.jpg É poeta, ensaísta e tradutor. É possível encontrar em livrarias, de sua obra, “Estranhas Experiências“, poesia (Lamparina, 2004); “Volta“, narrativa em prosa (Iluminuras, terceira edição 2004); e as traduções e coletâneas “Lautréamont – Obra Completa – Os Cantos de Maldoror, Poesias e Cartas” (Iluminuras, nova edição em 2005), e “Uivo, Kaddish e outros poemas de Allen Ginsberg” (L&PM, nova edição de bolso em 2005). É autor de outros livros de poesia: “Anotações para um Apocalipse”, “Dias Circulares” e “Jardins da Provocação”, e da coletânea “Escritos de Antonin Artaud”, todos esgotados. Recentemente, foi publicado seu posfácio para “Um Estrangeiro na Legião”, volume I das obras reunidas do poeta Roberto Piva (ed. Globo). Como mostram esses títulos, seus vínculos são com a criação literária mais rebelde e transgressiva, incluindo aquela ligada ao surrealismo e à geração beat. Devem sair, em 2007, os ensaios “Surrealismo, Poesia e Poética”, em uma coletânea da editora Perspectiva, e seus manifestos pela editora Azougue. Participa de antologias e publicações coletivas, no Brasil e exterior. Co-edita, com Floriano Martins, a revista eletrônica Agulha. Como crítico, colaborou em inúmeros jornais, revistas e suplementos culturais. Foi presidente da União Brasileira de Escritores. Ocupou cargos em administração cultural, organizando palestras, oficinas literárias e encontros de escritores. Participou de vídeos e filmes, com destaque para Uma outra cidade, documentário de Ugo Giorgetti com os poetas Antonio Fernando de Franceschi, Rodrigo de Haro, Roberto Piva, Jorge Mautner, Claudio Willer, disponível em vídeo, produção SP Filmes e TV Cultura de São Paulo. Bibliografia completa e mais informações em: www.secrel.com.br/jpoesia/cw.html. Integra a comissão julgadora nacional do Prêmio OFF FLIP de Literatura 2007.

Christiane Tassis

cris-tassis.jpg Escreveu seu primeiro livro, “Sobre a neblina“, publicado em 2006 pela Língua Geral, graças à Bolsa FLIP de Criação Literária.

A prosa de Christiane é singular, versátil e delicada. Este romance, como as cidades modernas, abre-se para muitas leituras. São variados discursos, personagens, emoções e modos de olhar que procedem arqueologicamente. Há lentes, flashes, zoons que se lançam a restos e ruínas da vida de Henrique, fotógrafo que pode morrer a qualquer momento em função de um tumor cerebral. Existe ainda outra morte: o esquecimento gradativo, causado pelo tumor.

David Oscar Vaz

davidvaz.jpg É escritor e professor universitário. Graduou-se em Letras pela USP e defendeu mestrado em Teoria Literária também pela USP com uma dissertação sobre Machado de Assis. Estreou na ficção com “Resíduos“, livro de contos publicado pela Ateliê Editorial e com ele recebeu o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) na categoria “escritor revelação”. Seu segundo livro, “A Urna“, saiu também pela Ateliê Editorial. Participou da antologia organizada pela Revista E do SESC de São Paulo intitulada Ficções Urbanas. Tem publicado vários contos em jornais e revistas literárias impressas e eletrônicas. Em 2001 a convite do Brazilian – American Cultural Institute esteve em Washington, onde proferiu palestra sobre Machado de Assis e fez leitura de contos; na Biblioteca do Congresso Americano em Washington, além de palestras que realizou sobre o conto moderno, fez gravação de dois de seus textos para o arquivo sonoro da Biblioteca do Congresso. Foi mediador dos encontros de escritores do 2º. Salão de Idéias da Bienal do Livro de São José do Rio Preto em 2006 a convite da Câmara Brasileira do Livro. Atuou como mediador também e como palestrante da 2ª. Feira do Livro de Poços de Caldas em 2007. É um dos integrantes da comissão julgadora nacional do Prêmio OFF FLIP de Literatura 2007.

Del Candeias

delcandeias.jpgTem 25 anos e em 2004 traduziu “A boa alma de Setsuan”, de Bertolt Brecht. Sobre o livro “A Louca”, Mário Bortolotto escreveu: “Del como uma hostess literata nos coloca dentro do seu mundo com engenhosidade e talento. E vou te dizer, é um mundo estranho onde alguns caras podem atender por nomes como “Fofolete” e onde a rapaziada bebe vodka com groselha. Estão todos aqui, os personagens aparentemente fúteis e ostentando profundidade, arranhando o alemão e discorrendo pedantemente sobre a cinematografia do David Lynch. Parecem personagens meio que saídos de um livro do Brett Easton Ellis, literalmente na caça de sensações incomuns e intensas pra dizer o mínimo e lá está o personagem narrador alter ego do autor (ou seria o próprio?) entrincheirado entre um par de ruivas gostosas e uma versão remix eletrônica de algum clássico disco dos anos 70.”

Flávio de Araújo

flavioaraujo.jpg Nascido em Paraty, é filho de pescadores. Participou do Cabaré Literário na OFF FLIP 2005, tendo sido um dos autores premiados. Participou da oficina literária de Raimundo Carrero durante a FLIP 2005 e tem poemas publicados em coletâneas, sites e no Jornal de Paraty, do qual é colaborador desde 1999. Na OFF FLIP 2006 participou da Conversa de Botequim ao lado de Marcelino Freire, Micheliny Verunschk, Fausto Fawcett, Paulo Scott e dois autores paratienses. Concluiu um volume de poemas (inédito) que tem como marca a origem caiçara, a temática social urbana e a reflexão filosófica e existencial.

Jeanette Rozsas

jeanette.jpgContista, romancista e diretora da UBE, é autora dos livros “Feito em Silêncio” (Ed. Vertente, 1996), “Autobiografia de um crápula” (Ed. Limiar/SP, 2000) e “Qual é mesmo o caminho de Swann?” (Editora 7Letras/RJ, 2005). Tem textos publicados nas revistas Ficções e Bestiário e nos jornais Rascunho (Curitiba), O Escritor e Letra Viva (São Paulo) e no Diário de Aveiro (Portugal). Recebeu prêmios literários no Brasil e no exterior. Recentemente a autora lançou em audiolivro “As sete sombras do gato” (AudioLivro, 2006), narrativa policial que conta a história de um delegado que, ao investigar uma suposta morte inusitada, vê a sua vida pessoal e profissional completamente transtornada graças a um novo comparsa, um gato de nome Lúcifer. O embate entre bem e mal se faz sentir através das aparições de Lúcifer. Por meio de vocabulário criativo e rico, a autora traça uma paisagem noir, com a magia do gato perpassando as páginas e criando um clima de suspense e mistério. Diferentes atores interpretam as 29 vozes dos personagens desta enigmática obra. Integra a comissão julgadora nacional do Prêmio OFF FLIP de Literatura 2007.

José Eduardo Agualusa

agualusa.jpg Nasceu em Huambo, Angola. Mora em Lisboa e Luanda, alternadamente, e tem ascendência portuguesa e brasileira. Formou-se em Agronomia e Silvicultura, escreveu para o jornal Público, de Portugal, e foi correspondente da RDP-África. É contista e romancista, com uma obra caracterizada por um diálogo intenso entre as culturas da lusofonia, sobretudo as influências de África e Portugal sobre o Brasil. O grande interesse pela História de seu país está nítido desde o primeiro romance, “A conjura” (1989), ambientado na Luanda do século XIX. Agualusa esteve várias vezes no Brasil, já morou em Olinda e fez dezenas de entrevistas em favelas cariocas para criar a história de “O Ano em que Zumbi Tomou o Rio” (2003). Entre seus livros destacam-se também “Estação das chuvas” (1996), “Nação crioula” (1997), “O vendedor de passados” (2004) e “Manual prático de levitação” (2005). Um dos sócios da Língua Geral, publicou pela editora “O filho do vento“, na coleção infantil Mama África (2006) e o romance “As mulheres do meu pai“, em maio de 2007. No mesmo mês, o escritor recebeu o prêmio do jornal inglês “The independent” de Melhor Ficção Estrangeira publicada na Inglaterra pelo romance “O vendedor de passados”.

José Tadeu Saraiva

josetadeu.jpg
Nascido em São Paulo, formou-se em arquitetura e urbanismo.

Em 2004 publicou o romance “Os cinco dedos da mão” (Edicom).

Mora em Paraty há cerca de dois anos e na OFF FLIP lança pela mesma editora “A sombra das torres: um romance sobre a Al Qaeda e o 11 de setembro”, que tem como protagonistas um terrorista disfarçado de taxista e uma jovem universitária que vivem nos Estados Unidos.

Leandro Leite Leocadio

leandroleocadio.jpgNasceu no antigo Estado da Guanabara, na cidade do Rio de Janeiro. Morou em Natal (RN) e hoje vive em São Paulo. Poeta, contista e cartunista, expôs seus trabalhos no Centro Cultural São Paulo (1995 e 1997), foi colaborador da Revista Bundas e do site Bundas Net (2001), bem como do jornal O Pasquim 21 (2002/2004). Participou da Tribuna da OFF em 2006, escreve para diversos sites, jornais e revistas e mantém o blog http://www.leocadio.blog.com/. Na OFF FLIP lança o livro de poemas “Os desmandamentos”. É um dos autores selecionados para a oficina de crônica organizada pela FLIP este ano.

Lucius de Mello

luciusmello.jpgÉ escritor, jornalista e pesquisador do LEER – Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação da Universidade de São Paulo. Foi repórter da Rede Globo durante 14 anos e finalista do Prêmio Líbero Badaró de Jornalismo em 1997 e 1998. É autor da biografia “Eny e o grande bordel brasileiro” (Objetiva), finalista do Prêmio Jabuti em 2003 e que está sendo adaptada para cinema e televisão. Na OFF FLIP apresenta o romance histórico “A Travessia da Terra Vermelha” (Novo Século), resultado de 4 anos de pesquisas que realizou no Brasil e na Alemanha. O autor recolheu diários, anotações, fotografias, cartas, documentos e gravou dezenas de entrevistas. Parte desse material também ilustra o romance, que tem apresentação da professora Maria Luíza Tucci Carneiro. O livro é um convite à rememoração da história dos judeus refugiados do nazismo em Rolândia, no Norte do Paraná. Sensível ao drama humano, Lucius transita entre a História e a Literatura reconstituindo a memória do Holocausto, cuja sombra estendeu-se para além das fronteiras da Alemanha nazista.

Mauro Santa Cecília
É mineiro e nasceu em 1962. Poeta e letrista, é parceiro de Roberto Frejat na canção Por você, grande sucesso do Barão Vermelho. Tem também músicas gravadas por George Israel, Hyldon, Luiza Possi, Jota Quest, Rodrigo Santos e Sideral, entre outros. Já lançou os livros de poemas A todo transe (1997) e Olho frenético (2005). Este último inclui depoimentos dos jornalistas Arthur Dapieve e Tárik de Souza, da cantora Dulce Quental e do poeta e multiartista Fausto Fawcett sobre a obra do autor. “Cão de cabelo“, recém-lançado pela Língua Geral, é seu primeiro romance.

Mia Couto

mia.jpgÉ autor de “Terra sonâmbula“, considerado por um júri da Feira Internacional de Zimbabwe como um dos dez melhores livros africanos do século XX. Antonio Emílio Leite Couto é moçambicano da cidade de Beira. O apelido Mia surgiu na infância, por conta do irmão mais novo que não conseguia pronunciar ‘Emílio’. Biólogo, romancista, contista e poeta, ganhou em 1999 o Prêmio Vergílio Ferreira pelo conjunto da obra. Recebeu o Prêmio da União Latina de Literaturas Românicas em 2007. É, aos 51 anos, um dos mais notáveis autores contemporâneos da língua portuguesa. Foi ele quem abriu o caminho para outros autores africanos no Brasil. Entre suas obras de ficção destacam-se “Cronicando” (1996), “Cada homem é uma raça” (contos), “O gato e o escuro” (infanto-juvenil, com ilustrações de Danuta Wojciechowska, 2001) e “O outro pé da sereia” (2006). Pela Língua Geral, publicou “O beijo da palavrinha“, na coleção Mama África.

Miguel Gullander
É autor de “Perdido de volta“, lançado em maio de 2007 pela Língua Geral. Filho de mãe sueca e pai português, tem 32 anos. Já foi barman em Londres, apesar de ser abstêmio, e traduziu as lendas vikings do inglês para o português. Vive na África desde que deixou a Suécia, em 2001. Já morou em Cabo Verde e Moçambique e, atualmente, é professor de português em Angola. Publicou seu primeiro livro, “Balada do marinheiro-de-estrada”, em 2005, pela editora portuguesa Cavalo de Ferro.

Nelson Saúte

nelsonsaute.jpgNasceu em Maputo, Moçambique, em 1967. Formou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Como jornalista, trabalhou na revista Tempo e na Rádio Moçambique. Como cronista, escreveu em diversos periódicos, entre os quais Notícias e Zambeze. Na televisão moçambicana manteve um programa sobre livros. Foi também comentarista político. No tempo em que permaneceu em Portugal, foi colaborador permanente do JL, Público e de um programa – Estórias em Português – transmitido pela TSF. Publicou livros de poesia, entrevistas, contos e um romance em Moçambique, Portugal e Itália. Entre os seus títulos aparecem “A pátria dividida” (1993), “O apóstolo da desgraça” (1999) e “Os narradores da sobrevivência” (2000). Atua também como administrador executivo na empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (E.P.-CFM). Pela Língua Geral, publicou, em 2006, “O homem que não podia olhar para trás“, na coleção Mama África.

Nereu Afonso da Silva

nereuafonsosilva.jpg

Ator graduado em Filosofia, é o vencedor do Prêmio Sesc de Literatura [2007] com o livro de contos “Correio litorâneo” (Ed. Record).

Escreve e atua no Brasil e na França. No exterior ele atua em diversas companhias, além de ser fundador da Compagnie du Tizal, e professor na Maison du Geste et de l´Image, em Paris. No Brasil, leciona no Estúdio Nova Dança, em São Paulo.

Na OFF FLIP participa de debate e de sessão de autógrafos com o outro vencedor do Prêmio SESC, Wesley Presley.

Ovídio Poli Junior

ovidio.jpgConclui doutorado em Literatura Brasileira na USP e coordena oficinas de criação literária. Foi um dos finalistas do Prêmio Guimarães Rosa/RFI (Paris) e nos últimos anos vem ganhando destaque em importantes concursos e prêmios literários brasileiros: Paranavaí (2002), FLIPORTO – Festa Literária de Porto de Galinhas (2005), Paulo Leminski (2002/2005) e Luiz Vilela (2005). Tem ensaios, resenhas e contos publicados em sites e revistas literárias. Nascido em Campinas (SP), residiu na capital paulista e há cerca de dois anos passou a morar em Paraty. Organiza a programação literária da OFF FLIP desde 2006 e idealizou o Prêmio OFF FLIP de Literatura. Mantém uma coluna no site ViaParaty e prepara dois romances satíricos. Recentemente foi um dos finalistas do concurso comemorativo aos 40 anos da Unicamp e premiado no concurso de contos Newton Sampaio, promovido pela Secretaria Estadual de Cultura do Paraná. Na OFF FLIP lança o livro de contos “Sobre homens & bestas”. Com humor e tom cáustico, unindo a sátira política à reflexão filosófica, o autor tece nas narrativas deste livro um cenário em que homens e bestas se confundem.

Patrícia Reis
É jornalista cultural e editora da revista Egoísta. Estreou na literatura com a novela “Cruz das almas”, de 2004. Em 2006, publicou “Beija-me” e “Amor em segunda mão“. Este último, um romance polifônico no qual 11 personagens-narradores analisam alternadamente, em tom confessional, suas relações afetivas e profissionais, foi editado no Brasil pela Língua Geral, que agora lança “Morder-te o coração”.

Rosario Nascimento e Silva

rosarionascimento.jpgÉ cineasta, atriz e escritora.

Seu longa, Marcados para Viver (1975), abriu portas no cinema brasileiro para o universo feminino, ganhando prêmios nacionais e internacionais.

Participou de filmes como “Os Marginais” e “Macunaíma”. Como escritora, manteve uma coluna no Jornal do Brasil, onde tratava dos assuntos com humor e sua peculiar ironia. “Abrace-me urgentemente”, publicado pelo selo Bagatelas!, é seu primeiro livro.

Wesley Peres

wesleyperes.jpgEscritor e psicanalista, é o vencedor do Prêmio Sesc de Literatura [2007] com o romance “Casa entre vértebras” (Record). Nascido em Goiânia, mora em Catalão, interior de Goiás. Autor dos livros de poemas: “Palimpsestos”, vencedor da Coleção Vertentes (Editora da UFG, 2007), “Rio revoando” (USP/COM-ARTE, 2003) e “Água anônima”, vencedor do Prêmio Cora Coralina 2001. Colaborador da revista eletrônica Ruído Branco e criador do blog Sala Fernando Pessoa. Atualmente defende dissertação de mestrado sobre Manoel de Barros, na Universidade Federal de Goiás.

Informação da OFF FLIP.

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: